O surto do vírus já foi classificado como pandemia pela OMS. O Covid-19, novo coronavírus, já matou mais de 5,8 mil pessoas e infectou mais de 156 mil em todo o mundo.

Perfil das vítimas

A maioria dos pacientes chegam ao hospital com pneumonia, pulmões inflamados e alvéolos pulmonares cheios de líquido. A maioria tem febre e muita tosse. O número menor apresenta falta de ar, dores musculares, confusão mental, dor de cabeça e dor de garganta.



Os dois primeiros pacientes que morreram vítima do novo coronavírus eram aparentemente saudáveis, apesar de serem fumantes há muito tempo, o que pode ter deixado os pulmões mais vulneráveis. A maioria das mortes é entre pessoas acima dos 60 anos ou que já tinham outras doenças que podem tê-los tornado mais vulneráveis ao vírus, porque de alguma forma debilitaram o seu sistema imunológico.

Em uma pesquisa feita com um grupo de 99 pessoas, 40 tinha problemas cardíacos, alguns sofriam de insuficiência cardíaca ou já tinham tido derrames e outros 12 tinham diabetes. Os médicos ressaltam que os estudos obviamente tem limitações, já que ele foi realizado em uma amostra relativamente pequena, mas afirmam que ele é importante como a primeira fonte de características clínicas e epidemiológicas do coronavírus.

Veja na tabela abaixo, onde o novo coronavírus já chegou:

Última atualização: 16/03/2020 às 01h58
PaísConfirmadoMortes
TOTAL:169.3876.513
China81.020 3.202
Itália24.7471.809
Irã13.938 724
Coreia do Sul8.162 75
Espanha7.844292
Alemanha5.81313
França5.437 127
Estados Unidos3.774 69
Suiça2.200 14
Dinamarca1.739 2
Reino Unido1.395 35
Noruega1.256 3
Países Baixos1.136 20
Suécia1.032 2
Bélgica8864
Áustria860 1
Japão839 22
Cruzeiro Diamond Princess6967
Malásia428 -
Catar401 -
Canadá339 1
Grécia331 4
Austrália297 3
República Tcheca293-
Israel251 -
Portugal245 -
Finlândia244 -
Cingapura226 -
Eslovênia219 1
Barein214-
Brasil200-
Islândia180 -
Estônia171 -
Filipinas140 12
Romênia139 -
Irlanda129 2
Egito126 2
Polônia125 3
Iraque124 10
Arábia Saudita118 -
Indonésia117 5
Tailândia114 1
Índia113 2
Kuwait112 -
San Marino109 7
Líbano99 3
Emirados Árabes Unidos98 -
Luxemburgo77 1
Chile75 -
Peru71 -
Rússia63 -
Eslováquia61-
África do Sul61-
Taiwan59 1
Vietnã56 -
Paquistão53 -
Bulgária51 2
Brunei50 -
Croácia49 -
Argélia48 4
Sérvia48 -
Argentina46 2
Panamá43 1
México43 -
Albânia42 2
Equador37 2
Costa Rica35 -
Colômbia34 -
Geórgia33 -
Chipre33 -
Hungria32 1
Letônia30 -
Marrocos28 1
Bielorrússia27 -
Armênia26-
Bósnia e Herzegovina24 -
Senegal24-
Azerbaijão23 1
Moldávia23-
Omã22 -
Malta21 -
Tunísia20 -
Turquia18-
Sri Lanka18 -
Venezuela17 -
Afeganistão16 -
Macedônia14 -
Maldivas13-
Lituânia12-
Jordânia
12 -
República Dominicana11 -
Bolívia10 -
Jamaica10 -
Martinica10 -
Cazaquistão9 -
Nova Zelândia8 -
Camboja7-
Burkina Faso7 -
Ilha da Reunião7 -
Paraguai7 -
Gana6 -
Bangladesh5 -
Ruanda5 -
Etiópia4 -
Camarões4 -
Uruguai4 -
Cuba4-
Liechtenstein4 -
Guiana Francesa41
Guam3-
Quênia3-
Ucrânia31
Seychelles3-
Guadalupe3-
Honduras3-
Aruba2-
Mônaco2-
Jersey2 -
Santa Lúcia2-
Andorra2-
Nigéria2 -
Namíbia2 -
Kosovo2 -
Congo (Kinshasa)2 -
Trindade e Tobago2 -
Guatemala1-
Guiné1-
Gabão1-
Congo (Brazzaville)1-
São Vicente e Granadinas1-
Mongólia1-
República Democrática do Congo2 -
Togo1-
República Centro-Africana1-
Ilhas Cayman1-
Bahamas1-
Guernsey1-
Uzbequistão1-
Antígua e Barbuda1-
Suazilândia1-
Butão1-
Sudão11
Nepal1-
Suriname1-
Santa Sé1-
Costa do Marfim1-
Mauritânia1-
Guiné Equatorial1-

Coronavírus no Brasil:

UFSuspeitosConfirmados
TOTAL:1.913200
🟡RO20
🟡AC30
🔴AM01
🟡RR20
🟡PA10
🟡AP10
🟡TO30
🟡MA60
🟡PI10
🟠CE220
🔴RN141
🟠PB270
🔴PE182
🔴AL141
🔴SE11
🔴BA652
🔴MG1062
🔴ES511
🔴RJ9524
🔴SP1.125136
🔴PR606
🔴SC1026
🔴RS666
🟠MS150
🟡MT80
🔴GO43
🔴DF818
Fonte: Plataforma IVIS / Ministério da Saúde

Até o momento, é considerado como caso suspeito do novo coronavírus, paciente com sintomas da doença como febre, tosse e dificuldade para respirar. Além disso, o paciente precisa ter viajado para área com transmissão ativa do vírus nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas. Isso inclui também, viagens ou contato com pessoas que viajaram para outros países durante o surto, onde já foi confirmada a transmissão do vírus fora da China.

Tire as principais dúvidas sobre o vírus:

O que é o novo coronavírus?

É um vírus que tem causado doença respiratória pelo agente coronavírus, recentemente identificado na China. Os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012.

Qual a forma de transmissão do vírus?

No início do surto, as autoridades chinesas disseram que o vírus não era transmitido entre seres humanos, mas desde então foram identificados milhares de casos de pessoas infectadas dessa maneira.

Os cientistas informaram que cada indivíduo infectado pode transmitir o vírus para uma média que fica entre 1,4 e 2,5 pessoas.

Esse número é particularmente importante porque corresponde à taxa de reprodução básica do vírus e, quando excede 1, significa que é “autossustentável”, ou seja, os especialistas sabem que ele não será extinto por si só. E isso coloca o coronavírus mais ou menos no mesmo grupo de virulência da Sars.

Por enquanto, apenas medidas como as tomadas na China, que incluem colocar cidades em quarentena, podem retardar sua propagação.

Quão rapidamente a doença se alastra?

Em poucos dias, o número de pessoas infectadas passou de centenas para milhares.

Mas o rápido crescimento dos números, mais acelerado que em outros surtos, pode ser devido à maior capacidade da China hoje de identificar pessoas infectadas.

Na realidade, há muito pouca informação sobre a “taxa de crescimento” do surto. Mas especialistas acreditam que o número real de pessoas atingidas é provavelmente muito maior que o divulgado.

É o que indica um relatório do Centro de Análise de Doenças Infecciosas Globais do Imperial College London.

“É provável que o surto de coronavírus em Wuhan tenha causado mais casos de doença respiratória moderada ou grave que o informado.”

No último fim de semana do mês de janeiro, pesquisadores da Universidade Lancaster, no Reino Unido, estimaram que havia 11 mil casos da doença. O que apontava que o atual surto já teria infectado mais pessoas que a Sars, o que foi comprovado recentemente com os novos casos.

E de que animal ele vem?

Uma vez que é identificado o animal reservatório, como é chamado o ser vivo onde um agente infeccioso vive e se multiplica, é muito mais fácil lidar com isso. Os casos têm sido associados ao mercado público de frutos do mar em Wuhan. Ainda que alguns mamíferos aquáticos possam portar o coronavírus, como a baleia-beluga, também são comercializados no mercado outras classes de animais selvagens vivos, o que inclui galinhas, morcegos, coelhos e cobras — e são apontados como fontes mais prováveis.

Quais são os sintomas do novo coronavírus?

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, como febre, tosse e dificuldade para respirar. Entre os sintomas, também estão problemas gástricos e diarreia.

Existe alguma forma de prevenção?

Para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, orienta-se que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, como lavar constantemente as mãos principalmente antes de consumir alimentos, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Além disso, não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas, manter os ambientes bem ventilados, evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.

Como é feito o diagnóstico do novo coronavírus?

O diagnóstico do novo coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios com potencial de aerossolização (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). É necessária a coleta de duas amostras na suspeita do novo coronavírus. As duas amostras serão encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Uma das amostras será enviada ao Centro Nacional de Influenza (NIC) e outra amostra será enviada para análise de metagenômica.

Como é feito o tratamento do novo coronavírus?

O tratamento é feito com base nos sintomas de cada paciente.

Como é definido um caso suspeito do novo coronavírus?

O paciente precisa possuir o critério clínico que é febre acompanhada de sintomas respiratórios e atender uma das três situações: ter viajado nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas para as regiões mais afetadas ou ter tido contato com alguma pessoa infectada.

O coronavírus já chegou ao Brasil?

Sim. Como os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de um resfriado comum, muitas pessoas acabam procurando postos de saúde, com medo da doença. Algumas inclusive, são diagnosticadas com dengue, H1N1 e até mesmo resfriados. Você pode conferir se existem novos casos confirmados de coronavírus no Brasil, através da tabela acima, ou clicando aqui.

Agora que o vírus chegou ao Brasil, quais serão as medidas adotadas?

O governo federal adotou diversas ações para o monitoramento e o aprimoramento da capacidade de atuação do país diante do episódio ocorrido na China. Entre essas ações, estão a adoção das medidas recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde); a notificação da área de portos, aeroportos e fronteiras da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária); a notificação da área de Vigilância Animal do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento); e a notificação às Secretarias de Saúde dos estados e municípios, demais Secretarias do Ministério da Saúde e demais órgãos federais com base em dados oficiais, evitando medidas restritivas e desproporcionais em relação aos riscos para a saúde e trânsito de pessoas, bens e mercadorias.

O SUS tem tratamento para a doença?

Não existe medicação específica para o vírus. O tratamento é feito com base nos sintomas de cada paciente.

Qualquer hospital pode receber esse paciente?

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência estadual para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Qual é a diferença dessa doença para uma gripe, já que os sintomas são parecidos?

No início da doença, não existe diferença quanto aos sinais e sintomas de uma infecção pelo novo coronavírus em comparação com os demais vírus. Por isso, é importante ficar atento às áreas de transmissão local. Apenas pessoas que tenham sintomas e tenham viajado para as regiões mais afetadas ou mantido contato com pacientes infectados, são suspeitos da infecção pelo coronavírus.

Qual é a orientação para quem for viajar para outros países ou estados brasileiros que estão com a doença em circulação?

A classificação de pandemia indica que o risco é iminente. Por esse motivo, procure evitar locais fechados com grande acúmulo de pessoas, tocar os olhos, nariz ou a boca e lavar as mãos constantemente com água e sabão. O álcool gel auxilia bastante na prevenção.

Por quanto tempo a doença pode ficar incubada?

Até duas semanas após o contato com o vírus.

Qual exame detecta essa doença?

Para detectar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral. É importante seguir as orientações que estão no boletim em relação aos procedimentos para o diagnóstico laboratorial.

Tive contato com pessoas que vieram de outros países recentemente? O que devo fazer?

Se você manteve contato com pessoas que vieram do exterior ou de qualquer outra região com grande número de infectados, atente-se aos sintomas que podem levar até 14 dias para se manifestarem. Se neste período você apresentar febre, tosse e principalmente dificuldade para respirar, a orientação do Ministério da Saúde é ligar no número 136 para buscar informações do que fazer ou procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

As redes de emergência, como hospitais e prontos-socorros, devem ser evitadas para dar espaço apenas para os casos mais graves de saúde ou para as pessoas pertencentes aos grupos de risco, como idosos, portadores de doenças crônicas e pacientes que passam por quimioterapia.

O quão mortal é o vírus?

Especialistas sugerem uma taxa de fatalidade em torno de 2%, mas ainda é muito cedo para ter certeza. Há suspeitas de que o vírus pode se transformar e tornar-se mais perigoso.

Existe alguma vacina?

Uma vacina contra o coronavírus pode sair em até 3 meses. A Moderna Therapeutics, empresa americana de Cambridge, no estado de Massachusetts, anunciou que está desenvolvendo em parceria com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, uma vacina contra a variante do coronavírus. A empresa espera usar uma técnica que tem como alvo o mRNA, molécula mensageira que transporta informação genética viral do núcleo de uma célula infectada para o citoplasma. Esta técnica já foi usada contra outros vírus, incluindo o da gripe. Após o desenvolvimento e a confirmação da sua eficácia, a empresa deve realizar testes clínicos em um grupo maior de pessoas, antes de iniciar a produção da vacina em larga escala.

Já em Hong Kong, o microbiologista e médico Yuen Kwok-yung anunciou que pesquisadores já desenvolveram uma vacina contra o novo coronavírus da China. No entanto, ela ainda precisa ser testada em animais, o que deve levar um longo período, segundo reportagem do jornal South China Morning Post.

Para compartilhar

A cidade chinesa de Wuhan, com 11 milhões de habitantes está literalmente fechada. As pessoas, em quarentena, estão “presas” em suas casas e apartamentos e aparecem cantando nas janelas em solidariedade. Confira o vídeo:

Coronavírus: moradores em quarentena cantam nas janelas em solidariedade

Coronavírus: moradores em quarentena cantam nas janelas em solidariedade

Publicado por Só Para Curiosos em Quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

A equipe do site Olhar Digital conversou com a brasileira Samara Reis e seu marido Ian Lin, que moram em Xangai.

Linha do tempo


Mapa em tempo real

Casos e locais de novas contaminações pelo coronavírus podem ser vistos clicando aqui.